9 de nov de 2009

= JÓIA =


Desfilei aquele amor,
como se fosse dama antiga
numa tela de Debret.
Caminhei feliz pela cidade
com olhos brilhantes,
Rindo de nada,
sonhando com coisa alguma
Naquele status bobo que dizemos ser felicidade!
***
Desfiou esse nosso amor,
como se fosse um colar,
uma a uma as pérolas voando no ar
Parecia semente que se sabe onde brotará.
***
Uma jóia que ao sol perdeu valor
Como tela, aquarela que ao mormaço
Desvanece,esmaece,umidece,perde-se
Ressente-se no tom, na cor da cor...
***
No dia seguinte emendo,
amarro socorro o colar:
Pérolas a menos, nós a mais
Improviso, desensaio.
Pérolas nascem sós.
São produtos da dor...
***
Um brinco perdido e descombinado, sem par
Jóia inútil a enfeitar dias solitário
***
Não sei o quanto estarei a polir
esse amor que não sei o quanto vale
Sei que se Pandora tinha uma caixa
Se as Danaides tinham um tonel
Eu tenho essa jóia!

Nenhum comentário: