13 de jan de 2009

Cruel

Eu queria dizer que te amo
e não dá tempo.
Eu queria te fazer um poema
e perdi o talento.
Eu me tornei guardiã do que você tem,
do que você me traz.
Agora vejo de longe o sonho de felicidade,
é pra longe que o sonho vai,
depois de tornar-se real.
O que fica é o de fato e o direito
e as coisas concretas são tão chatas!
Nada pode ser mais cruel
do que aquilo que podemos tocar.

2 comentários:

Sara disse...

Eu acho que, se pudessemos tocar nos sentimentos, eles não seriam tão intensos e tão puros.
É preferível sofrer a crueldade das coisas que tocamos, do que a angústia de não saber amar.
Mas isto é só uma opinião.

Rozzi Brasil disse...

Ah, Sara! Mas o que seria saber amar? Amar me parece ser a arte do aprender... Aprender a conhecer, aprender a querer, aprender a tocar sem perder o caráter volátil, etereo do amor... A gente segue a vida aprendendo de amor e, há os que desaprendem de mal amor e mal amar... O fato é que amor é uma faculdade sempre nova a cada vez que surge em nossa vida... Em se tratando de amor, somo sempre aprendizes. No máximo aprendemos de amor a uma espcífica pessoa e ao mudarmos de pessoa todo o nosso saber se torna uma referencia, que nos poupa um minimo de tempo mas nos exige o maximo de talento para as não comparações.Reumindo amor é sempre ummdia novo que nos torna pessoas novas diante de nós mesmos e de nossas próprias vidas...