14 de ago de 2010

O GÊNIO


O gênio que habita em mim deve ter sido reprovado no vestibular. Sim, eu fiz pós-graduação, mas isso independe da genialidade. Ser genial é coisa que nasce com a gente, um traço genético do espírito, sim, alma tem DNA e defeitos congênitos e genéticos e creio piamente que todos temos um gênio latente em algum canto do cérebro doidinho pra entrar em ação.
O gênio que habita em mim é arcaico e apresenta resistência a algumas tantas inovações e tecnologias, por exemplo escrever e-mail no IPhone que dá um trabalho infernal (ele, o meu gênio pessoal até me confidenciou que gostaria de voltar aos tempos em que para um celular era suficiente receber e fazer ligações) publicar sua genialidade no Twitter concomitantemente com o acontecimento como fazem os jovens, descolados e as celebridades.
Quer saber? O gênio que habita em mim tem tanta preguiça quanto eu: ele não escreve mais à mão e tem dificuldades com o lap top... Talvez por nostalgia da Olivetti 32, goste daquele teclado imenso do desk top. Sim, aquele desk top, imenso e repleto de fios que a faxineira se recusa a aspirar morrendo de medo de tomar choque, derrubar a conexão com a internet e aturar minha cara de mau humor...
Há uns dias obrigada a usar o notebook em casa, percebia que ele criava vida e colocava as palavras digitadas em lugares impensáveis. Assim, sozinho como se fosse ele o escritor... O que uma mulher passada dos trinta faz para resolver o problema? Joga no Google e vai aos fóruns! Lá, os novos doutores para problemas que diagnosticam sempre como falha de comunicação do periférico situado entre a cadeira e o teclado, depois de tirarem alguma onda dão dicas para resolver o problema. Pois bem, foi consenso que o touch do note era influenciado pelos meus dedinhos inquietos que ao digitar flutuavam por ele que levava para outros parágrafos o que eu escrevia!Solução nenhuma, apenas diagnóstico... O gênio que habita em mim resolveu o problema, cortando uma plaquinha de isopor e colocando em cima do mouse touch screen e,  finalmente fiz as pazes com o notebook!

Nenhum comentário: