17 de jan de 2010

SEM TÍTULO




Talvez a saudade seja 
O que você mais deseja
a melhor forma de amor por você conhecida
a que mais lhe satisfaça, a sua forma preferida.
Única forma de amor por você conhecida
Em uso e prática ao seus olhos reconhecida
Única forma de amor que você  mereça.
Confunde amor com ferida.
Para que jamais esqueça
Coisas da sua cabeça
Murmúrios em sua vida...
Não exige esforço para tê-la,
Esperta, ágil, safa e prevenida
não existe como perdê-la.
Daquilo que temos saudades, 
seremos eternos donos.
Sem sede de novidades.
Aqueles que sentimos saudade,
Serão donos do tempo e da disponibilidade.
A saudade tudo apaga e perdoa.
Traz um sorriso de melancolia,
Ilude que a vida não está à toa,
Sempre soprando aos ouvidos elegia.
um quê de eternidade.
Covardia, seu nome é saudade!
Promove uns santifica outros.
Travestida, ignota, brinca de amor
Um jeito preguiçoso de amar.
Mergulha o coração numa falsa dor
Por um modo egoísta de se dar
Um jeito prático de ter.
Uma pílula de eternidade.
O par de asas do sofrer
Como é bonito ter saudade!


Mas se ela mora na casa do viver,
Essa sua saudade invasora
É uma forma covarde de se ter.
Para sempre duradoura,
Um jeito tolo de não perceber.
È apenas um medo de ser feliz,
A face oculta e burra do saber
Um caule, uma flor, uma folha sem raiz
uma dúvida em abraçar a vida.
O canto secreto de uma alma escondida,
A brincar de viver
A se dar sem conhecer
Essa saudade que arde
no lugar do doce do viver,
no paladar ácido do escolher,
no gosto amargo do perder.

É essa saudade a equiparar bons momentos
E releva pensamentos e atos insanos
A elevar os nossos desordenados sentimentos
Nivela tudo o que há nos humanos
A cantar a mesma música no mesmo tom
Um ilusão: se temos saudade, tudo torna-se bom.

Um comentário:

Kassya Mendonca disse...

Sim a saudade faz tudo tornar-se bom!
linda!!!!

(gostei do novo layout - fikou show)

Bjus!